quarta-feira, 8 de agosto de 2007

Busca do Sobrenatural

A busca pelo sobrenatural

Uma das marcas de nossa época é a tendência que se tem para tudo o que é misterioso, sobrenatural, místico e esotérico. Há uma busca por temas considerados “espirituais”, tais como: visões esotéricas, êxtases fascinantes, maravilhas, sinais, meditações transcendentais, contatos com seres angelicais, contatos com seres extraterrestres, experiências paranormais, percepções divinas, revelações especiais, desenvolvimento intuitivo, etc.

O grande interesse por religião e a facilidade dos meios de comunicação permitem um intercâmbio cada vez maior de práticas religiosas entre os povos. Por meio da televisão, do rádio, dos jornais, das revistas, da Internet, são divulgados os mais variados cultos e tradições religiosas de todas as partes do mundo.

O sincretismo e o proselitismo são muito fortes, e muitos grupos lançam suas redes para conseguir o maior número de adeptos. No afã de crescer e de fazer um “nome” é comum a prática de uma ou mais formas de “espiritualidade mística”. Parece que há uma busca de algo que funcione, que dê certo e que promova uma determinada “experiência”.

O fato é que não existe o mínimo interesse com a VERDADE. Até porque, quem é que aceita hoje os absolutos de Deus e de Sua Palavra? O que passa a existir é uma série imensa de “verdades”, cada uma delas “boa” no seu próprio contexto, onde o importante é ter uma experiência religiosa, não importa onde, nem como.

Os grupos que mais crescem são os que se afastam da verdade da Palavra de Deus. Quando o desejo é crescer e ter poder, certos líderes gostam de ser reconhecidos como seres especiais, que têm uma intimidade com Deus superior aos demais, que têm uma força na oração inigualável, que têm capacidade de identificar doenças e ministrar a cura, que têm habilidade no lidar com os demônios, que têm a capacidade de ministrar a libertação, cura, perdão e prosperidade, que se apresentam, enfim, como seres quase sobrenaturais e que chegam a ser idolatrados pelos seus fiéis. Esta auréola de “espiritualidade” impressiona e atrai as multidões.

Toda essa tendência para o que é místico e sobrenatural causa forte impacto nas crianças! Esses pequeninos são “alimentados” com brinquedos, livros, jogos e filmes em que o ocultismo, nas suas dimensões de magia, de advinhação e de espiritismo, se interliga ao cotidiano para os influenciar e causar uma verdadeira lavagem cerebral.

Opções de Lazer permeadas de ocultismo

Nas férias de janeiro e de julho, qual o divertimento de suas crianças?

Olhe as propostas oferecidas por certos acampamentos para crianças, onde o tema é exatamente o misticismo, a magia, a busca de um “alto astral”. É surpreendente como os pais enviam seus filhos para este tipo de programação.

Veja os filmes que estão em exibição nos cinemas. Quase que, sem exceção, os enredos têm a ver com o sobrenatural e o esóterico.

E se a criança ficar em casa vendo televisão, ou brincando com os videogames. Não há escapatória. Parece que há um acordo bem elaborado para que de alguma maneira as crianças sejam alcançadas com alguma forma de misticismo.

E os jogos de RPG? Trata-se de jogos de personificação, com cartas, ou de tabuleiro, ou mesmo jogados no computador, alguns até baixados via Internet, onde o jogador escolhe um personagem que irá representar e precisa adotar aquela personalidade, com o modo de pensar, o carisma, a força, etc. Estes jogos dão mais vantagens aos personagens que praticam mais maldades. Certos pontos só se obtêm quando se lança mão de feitiçarias, de magias. É surpreendente que um joguinho leve a criança a se familiarizar com o universo do mal e todos os seus personagens. Há diversos casos de crianças e adolescentes que ficam possuídos pelos demônios. Alguns, sem distinguir a realidade da fantasia, acabam praticando crimes horríveis.

E os livros? Um fenômeno é o grande interesse despertado nas crianças pela leitura dos livros da escritora J. K. Rowling. As crianças devoram com avidez, livros com mais de 500 páginas, onde instruções sobre feitiçaria são passadas. Por que este fascínio pela história de um menino inexpressivo, infeliz e insatisfeito que, ao descobrir a bruxaria, encontra a alegria e a razão para viver?

Esta é uma época de apostasia

Que nome dar para uma época como esta? Nova era? Misticismo? Neo-esoterismo? O fato é que, em todos os níveis da sociedade, se observa uma real sedução como que preparando toda a humanidade para participar de uma religião mundial, onde o filho da perdição há de ser adorado, aquele que “se opõe e se levanta contra tudo que se chama Deus ou é objeto de culto, a ponto de assentar-se no santuário de Deus, ostentando-se como se fosse o próprio Deus (2 Tessalonicenses 2:4).

Arrisco dar um nome para esta época: a época da apostasia. Esta época foi devidamente anunciada na Palavra de Deus: “Ora, o Espírito afirma expressamente que, nos últimos tempos, alguns apostatarão da fé, por obedecerem a espíritos enganadores e a ensinos de demônios” (1 Timóteo 4:1). A Bíblia deixa também bem claro que a volta de Cristo será antecedida por uma época de apostasia. Esta época é um dos sinais também da volta do Senhor Jesus: “Ninguém, de nenhum modo, vos engane, porque isto não acontecerá (a volta de Cristo) sem que primeiro venha a apostasia e seja revelado o homem da iniqüidade, o filho da perdição” (2 Tessalonicenses 2:3).

O que marca este tempo de apostasia? O fato de estar em curso uma chamada “operação do erro”, mandada por Deus, e que atrai a todos que não acolheram o amor da verdade para serem salvos, vindo estes, então, a dar crédito à mentira. Todo este período que antecede o aparecimento do iníquo, é marcado por poder, e sinais, e prodígios da mentira, mas que causam impacto por serem segundo a eficácia de Satanás. Leia o texto completo em 2 Tessalonicenses 2:7-12.

O que fazer numa época de apostasia como esta?

1) Ter amor à verdade.

A Palavra de Deus, a Bíblia, precisa ser amada, meditada, estudada, vivida e pregada. Todos hoje querem apenas ouvir mensagens confortadoras, que produzam alegria, bem estar, satisfação, uma sensação agradável, um senso de triunfo, algo sensacional. Muitas vezes se usa a Bíblia apenas para estimular a auto-estima e dar um bem-estar psicológico.

Como é raro ouvir a Palavra de Deus sendo fielmente anunciada, agindo como aquela espada de dois gumes, conforme Hebreus 4:12,13, que penetra no mais íntimo do ser para mostrar o erro, o pecado, o engano, levando ao arrependimento e à mudança que Deus espera.

Só a Palavra de Deus consegue expor com clareza aquilo que o homem é, não deixando nada encoberto. Só a Bíblia aponta o mal e a sua raiz. As mensagens não pautadas pela Bíblia acobertam o pecado. As mensagens bíblicas o expõem. A Bíblia é um espelho que mostra o defeito, mas também tem o poder de corrigi-lo e de purificar o coração.

É preciso acolher a Palavra, que vai produzindo uma transformação no íntimo. É escondendo a Palavra no coração que podemos ter vitória sobre o pecado. Se há algo que as crianças de hoje precisam, com urgência, é de um ensino bíblico sério e profundo. Elas precisam de pais, professores e pastores com visão e responsabilidade, que saibam transmitir-lhes lições bíblicas, que os levem a memorizar versículos e a serem vitoriosos diante dos erros religiosos que assolam nossa época.

2) Batalhar diligentemente pela verdade.

Numa época de apostasia, infestada de falsos mestres e falsos ensinos, que comprometem a mensagem bíblica, é preciso reagir como um soldado. A Bíblia está sendo atacada e “a fé que uma vez por todas foi entregue aos santos” (Judas 1:3), isto é, toda a doutrina que está colocada nas escrituras sagradas, está sendo alvo de difamação e de distorção. Isto não pode ficar assim. Precisamos batalhar, quais soldados, para manter a sã doutrina.

Há que se denunciar os erros e os enganos. Há de se desmascarar aqueles que se introduzem no meio dos cristãos, com dissimulação e fingimento. Pessoas que acabam transformando a graça de Deus em libertinagem e que são chamados por Judas em sua pequenina carta de “sonhadores alucinados” (Judas 8).

Vamos ensinar nossas crianças a serem bons soldados de Cristo. Que elas conheçam também todas as peças que compoem a Armadura de Deus, e que possam estar firmes para repelir os enganos da época atual.Veja a lição especial publicada pela APEC®: A Nova Era e a Bíblia, que mostra seis idéias de nossa época de misticismo que querem penetrar na mente de nossas crianças e como elas devem dizer Não!

Quer uma amostra de algumas verdades que precisamos ensinar as nossas crianças e pelas quais elas precisam aprender a batalhar?

1) A Bíblia é a Palavra de Deus. Nela Ele se revela aos homens. Ela é Autoridade sobre nossas vidas.

Os falsos mestres não crêem na Bíblia, citam-na fora do contexto, colocam outros escritos com autoridade superior aos da Bíblia

Precisamos ajudar a criança a colocar a Bíblia num lugar central em sua vida. É importante que ela conheça os fatos gerais sobre a ordem dos livros na Bíblia e que memorize o máximo de versículos que for possível.

2) Deus é uma Pessoa. Ele é o Criador e tudo o que existe. Ele domina sobre tudo e sobre todos. Ele é Espírito, Eterno, Santo, Justo e Amor. Ele é o Deus Triúno: Pai, Filho e Espírito Santo.

Os falsos mestres sempre falarão de Deus como uma força ou energia impessoal, ou que Deus é tudo e tudo é Deus. No fundo está a idéia que todos são deuses.

Precisamos ajudar a criança a conhecer cada um dos atributos de Deus. Isto deve ser uma prioridade no trabalho com crianças.

3) Jesus Cristo é o Filho de Deus. O Deus encarnado, Perfeito, Sem pecado, que revelado em forma humana entregou sua vida para ser o Senhor e Salvador de todos os que nEle crêem. Ele é o único caminho para o Pai e a vida eterna.

Os falsos mestres negam que Jesus Cristo seja Deus. Para eles é apenas um dos vários mestres de religião e que toda pessoa é filho de Deus.

Precisamos ajudar a criança a ver a singularidade da Pessoa de Cristo, a se alegrar com o grande milagre da Encarnação, com a Sua vida diferente revelando ser o Filho Perfeito de Deus e Sua maravilhosa salvação feita na Cruz, deixando depois o túmulo vazio e voltando para o Pai, na ascensão.

4) O Espírito Santo é uma Pessoa que convence o mundo do pecado e atrai os incrédulos para a fé salvadora. Ele é quem habita, orienta e capacita os salvos.

Os falsos mestres ensinam que o Espírito Santo é apenas uma influência, ou então que existem muitos espíritos que podem se tornar guias das pessoas que os buscam.

Precisamos ajudar a criança a descobrir que o Espírito Santo é uma Pessoa Divina em contraste com os falsos espíritos que estão atuando no mundo.

5) O Homem foi criado à imagem e semelhança de Deus. Por causa da desobediência de Adão e Eva, todos nascem com uma natureza pecaminosa e por isso pecam.

Os falsos mestres negam a existência do pecado, consideram o homem como possuidor de uma natureza boa que precisa ser desenvolvida, tendo como que um deus dentro de si.

Precisamos ajudar a criança a compreender que embora o homem tenha sido criado sem pecado, ele decidiu pecar, desobedecendo a Deus.

6) O Pecado separa o homem de Deus. O que o pecado merece é a morte.

Os falsos mestres afirmam não existir o pecado e nem juízo final. Enfatizam que o único problema é a ignorância do homem, sendo que o mesmo pode ir melhorando através de sucessivas vidas (reencarnação).

Precisamos ajudar a criança e ver que o pecado é real, é contra Deus e tem de ser castigado com a morte. Deus odeia o pecado.

7) A Salvação é um dom gratuito de Deus, quando a pessoa crê em Cristo, recebendo-O como seu Salvador. A Bíblia chama este ato de novo nascimento.

Os falsos mestres mostram que através de boas realizações o homem pode conseguir a sua salvação, bastando que se esforce em ser bondoso.

Precisamos ensinar a criança que não há absolutamente nada que alguém possa fazer para merecer a salvação. Ela vem como um presente de Deus para todo aquele que crê.

8) A mente pode ser controlada pelo Espírito Santo que ajuda o novo nascido a conhecer melhor a Palavra de Deus, a orar e a ser mais semelhante a Cristo.

Os falsos mestres orientam para que a pessoa fique com a mente vazia para que seja penetrada e controlada por poderes superiores, que são, na verdade, espíritos demoníacos.

Precisamos ensinar a criança a nunca deixar a sua mente vazia, em hipótese alguma. Pelo contrário, a mantê-la sempre ocupada, especialmente no aprendizado da Palavra de Deus.

9) A vida com plena realização é possível através de Jesus, que concede vitórias aos que nEle confiam

Os falsos mestres ensinam que a chave do sucesso é a confiança em si mesmo. Eles fazem do “eu” um senhor que determina e que exige vitórias. Levam as pessoas a pensar que têm a força dentro de si.

Precisamos mostrar a criança que somente uma vida dedicada e consagrada a Deus pode ter vitórias e que confiar no Senhor permitindo que Ela viva através de nós, traz muitas alegrias e bênçãos.

Conclusão

O escritor Warren W. Wiersbe, na apresentação que faz da Bíblia de Recursos para o Ministério com Crianças, cuja edição em português foi feita pela Hagnos e APEC®, diz o seguinte: “Uma geração apenas, separa a igreja da extinção. Se não ganharmos crianças para Cristo e discipularmos as crianças salvas nas doutrinas bíblicas, o futuro da igreja e da civilização estará em jogo”.

Nenhum comentário: