sábado, 8 de setembro de 2007

Ações dos homens

A ções malignas, de fato,
C onflitos trazem que angustiam.
O s inimigos insensatos
E m toda parte assediam.
S ão bem perversos e oprimem.

D e coração, são insensíveis.
O mal desejam e armam crimes.
S ão insolentes e irascíveis.

H á um só meio de vencê-los:
O s pés andarem no caminho
M ostrado pela Escritura
E conservando a vida pura
N o amor de Deus fazer seu ninho
S ó Ele cuida com desvelo.

Quanto às acões dos homens, pela palavra dos teus lábios, eu me tenho guardado dos caminhos do violento.
Os meus passos se afizeram as tuas veredas, os meus pés não resvalaram.
Eu te invoco, ó Deus, pois tu me respondes; inclina-me os ouvidos e acode ás minhas palavras. Mostra as maravilhas da tua bondade, ó Salvador dos que á tua destra buscam refúgio dos que se levantam contra eles.
Guarda-me como a menina dos olhos, esconde-me à sombra das tuas asas,
dos perversos que me oprimem, inimiogs que me assediam de morte.
Insensíveis, cerram o coração, falam com lábios insolentes;
andam agora cercando os nossos passos e fixam em nós os olhos para nos deitar por terra.
Parecem-se com o leão, ávido por sua presa, ou o leãozinho, que espreita de emboscada
”.

Salmo 17:4-12

Nenhum comentário: