sexta-feira, 21 de setembro de 2007

Os homens de hoje

Os homens de hoje – como foram no tempo da infância?

Lionel Hunt, num livro publicado pela Moody Press, registrou uma pesquisa que demonstra de uma forma inequívoca, qual a melhor idade para a evangelização e a conversão:
Antes dos 4 anos - 1 %
Dos 4 aos 14 anos - 85 %
Dos 14 aos 30 anos - 10 %
Após 30 anos - 4 %

O fato é que as crianças são importantes para Deus. Elas têm uma alma imortal e uma vida inteira pela frente. Elas ouvem e atendem à mensagem do Evangelho mais prontamente do que qualquer outro grupo de pessoas.
Georg W. Truet, ao entrevistar 1.200 crentes, constatou que 96 % destes recebeu a Cristo antes dos 21 anos.
A Divisão de Pesquisa de Educação Cristã de uma grande editora evangélica entrevistou 1.417 professores de 116 igrejas e constatou que a maioria das decisões por Cristo ocorre nas classes de crianças
O fato é que se uma pessoa não receber a Cristo quando criança, dificilmente o fará na idade adulta.

Considerando que os crentes são a luz do mundo e o sal da terra, uma bênção para toda a sociedade, e que pelo menos 85 % deles se tornaram crentes antes dos 15 anos de idade, chegaremos à conclusão de que, se quisermos ter um mundo melhor amanhã, devemos evangelizar com mais intensidade e sabedoria as crianças de hoje.
Os homens incrédulos de hoje, em sua grande maioria, não ouviram falar de Cristo em sua infância.
Se olharmos para homens como Hitler, que levou à morte mais de 55 milhões de pessoas na Europa; Stalin, que levou à morte 30 milhões de pessoas na Rússia, e Mao Tse-Tung, que levou 25 milhões de pessoas à morte na China e compararmos com Billy Grahan, por intermédio de quem milhões, em todo o mundo vieram a conhecer a salvação em Cristo, muito nos alegrará saber que a diferença é que Billy Graham, o maior evangelista de todos os tempos, recebeu a Cristo com seu Salvador quando ainda era bem criança.
A história teria sido muito diferente se Hitler, Stalin ou Mao Tse-Tung tivessem sido levados a ter uma relação pessoal com Jesus Cristo na infância.
Que história será escrita amanhã, se falharmos em chegar a toda criança?

Nenhum comentário: