quarta-feira, 20 de fevereiro de 2008

ISAÍAS 24

Eis que a terra vai ser devastada

E sua superfície transtornada;

Seus moradores serão dispersos

No sofrimento serão igualados,

Seja o povo, seja o sacerdote,

Seja o empregado, seja o patrão,

Seja o que compra, seja o que vende,

O que empresta e o que toma emprestado,

Tudo completamente arrasado.

A terra está secando e murchando,

O mundo inteiro está se acabando,

A terra está se deteriorando,

E tudo isto está acontecendo,

Porque seus moradores se afastaram

De Deus, de suas leis e mandamentos.

De fato, os estatutos violaram,

E pecam nas ações e pensamentos.

A terra então vai sendo consumida

Por toda a maldição do vil pecado.

Os homens todos tornam-se culpados,

E com fogo, então, serão queimados.

O vinho e a alegria foram embora,

O folguedo dos violões já se acabou

Quem estava alegre, de tristeza chora

A caótica cidade se arruinou.

Foi banido em toda terra o prazer,

Só desolação é o que se pode ver.

Pois é Deus quem vai exercer naquele dia,

O castigo sobre a terra e sobre os céus.

Esta terra será toda quebrantada,

Vai romper-se e será violentada,

A transgressão que está sobre ela é mui pesada

Ela cairá e não será mais levantada;

Hostes celestes e também os reis da terra,

Serão juntados e serão aprisionados,

Para castigo receberem para sempre;

Mas uns poucos restarão e vão cantar,

Suas vozes vão levantar com alegria,

Ao Senhor da Glória vão glorificar,

E cantarão com toda fora e sem susto:

Glória ao Senhor, o Deus Eterno,

O Deus que é Santo, glória ao Justo!

Gilberto Celeti

Nenhum comentário: