quarta-feira, 18 de fevereiro de 2009

CIÚME ECLESIÁSTICO E DENOMINACIONAL

Todo aquele que por Deus é enviado
Não é luz intensa que tão forte brilha,
E precisa estar, portanto, acautelado
Para não cair na triste armadilha

De julgar-se a si mesmo importante,
E com outros servos ir-se comparando,
Procurar só ter sucesso retumbante,
E o trabalho de outros ficar invejando;

Ou então, pra não perder a sua influência,
E para manter a popularidade,
Sempre encara os outros como concorrência,
E o que o move no trabalho é a vaidade.

Quão cruel é o preconceito religioso
De quem julga sempre estar com a razão,
Pensa estar com Deus e, de modo raivoso,
Diminui o outro sem hesitação!

A quem ocupa o seu lugar devidamente,
Ser igual ou mais que o outro não lhe importa,
Nem ser menos é algo que o atormente;
Aumentar sua própria estima é coisa morta.

Reconhece que por Deus foi enviado,
E confia na Sua graça cada dia
Pois dons e oportunidades lhe tem dado.
Serve a Deus, o seu Senhor, com alegria.

Sabe que não é luz mas mostra a luz,
A verdadeira luz que ilumina:
O Verbo feito carne, que é Jesus,
Que tira o homem da eterna ruína.

E é seu pensamento tão somente
Que Cristo seja sempre exaltado.
Seja a quem for que Cristo apresente,
Que seja grandemente abençoado.

O importante é, pois, que Cristo cresça,
E o ego de quem serve diminua.
Que a glória de Jesus bem resplandeça,
Assim que o servo a sua obra conclua!

Gilberto Celeti

João 3.27-30: "Respondeu João: O homem não pode receber coisa alguma, se não lhe for dada do céu. Vós mesmos me sois testemunhas de que eu disse: Não sou eu o Cristo, mas sou enviado adiante dele. Aquele que tem a noiva é o noivo; mas o amigo do noivo, que está presente e o ouve, regozija-se muito com a voz do noivo. Assim, pois, este meu gozo está completo. É necessário que ele cresça e que eu diminua".

Nenhum comentário: